A Origem

1653733_10202472050475889_693179155_nBoas gente. ūüôā

Ainda n√£o tinha acontecido, mas h√° uma primeira vez para tudo certo?
Ent√£o hoje vou falar de um filme. Eu sou apaixonada por livros (novidade), por s√©ries, filmes e m√ļsica. Ent√£o achei por bem fazer um post sobre um filme pelo qual fiquei encantada.

Eu gosto de quase todo o g√©nero de filmes, drama, com√©dia, aventura, ac√ß√£o, document√°rio, basicamente vale tudo, mas h√° sempre aqueles que me marcam mais, muitas vezes nem eu sei exactamente o porqu√™. Tendo em conta as outras pessoas, talvez a minha lista de filmes ‚Äúpreferidos‚ÄĚ seja um pouco extensa, contudo, tendo em conta a quantidade de filmes existentes por todo o mundo e ainda tendo em aten√ß√£o o n√ļmero de filmes que vi, a lista n√£o √© assim t√£o grande.
Mas bem, hoje venho-vos falar do filme A Origem, ou em inglês, Inception.

Resumidamente, o filme trata de uma realidade em que é possível invadir a mente de outra pessoa através dos sonhos e até roubar segredos que a pessoa tenha.

Eu achei brutal não só esta ideia, como também o modo que o filme foi construído e nos explica/demonstra como funciona esta ideia.

Eu gosto de filmes que me façam sentar na cadeira e não mexer sequer um dedo de tanta que é a atenção que estou a prestar e este filme fez exactamente isso. Eu já o revi e devo dizer que continuei a adorar, toda a história é fenomenal.

Um sonho dentro de outro, o modo como enganam a mente da vítima em questão, só o início do filme já está de virar o cérebro ao contrário.

Mas o melhor √© quando eles tentam fazer exactamente o contr√°rio, em vez de roubar, implementar uma ideia na mente de outrem. O jeito como eles explicam como funciona uma ideia na mente humana, √© das melhores descri√ß√Ķes sobre algo que vi at√© agora.

Ent√£o este filme tem uma hist√≥ria que foi contada de modo a cativar o interesse do p√ļblico (acredito que n√£o com toda a gente, mas tudo depende dos gostos de cada um). Tem uma certa profundidade no modo como descrevem algo, neste caso quando descrevem o que √© uma ideia e o seu poder na nossa mente, o modo de criar o local do sonho (o arquitecto normalmente faz isso), o modo como falam da nossa mente e do nosso inconsciente. Al√©m disso as imagens est√£o lind√≠ssimas, quando a jovem decide experimentar do que √© capaz e simplesmente vira metade da cidade ao contr√°rio, os sonhos quando come√ßam a desmoronar, o comboio que sai do nada e embate em tudo o que lhe aparece √† frente.

Mas eu tenho um problema com o fim (tenham atenção que, paraos que não gostam de spoilers, seja melhor não ler o resto).

Eu gosto de suspense, acho interessante que, em alguns filmes, deixem o fim um pouco para a nossa imagina√ß√£o, apesar de j√° nos encaminharem em direc√ß√£o a uma certa ideia, normalmente mostram-nos que o final n√£o foi infeliz, mas deixam-nos criar as nossas pr√≥prias vers√Ķes. O que eu n√£o gosto, √© quando fica aquela incerteza de ‚Äúser√° que acaba bem ou mal?‚ÄĚ, porque por mais que eu queira pensar positivamente, eu acabo sempre por considerar a parte negativa e eu sou adepta de finais minimamente felizes ou alegres.

Então, no fim, quando eles nos deixam com aquela expectativa, a ver se pára ou não pára, fiquei um pouco revoltada. Claro que isto depende muito de cada um, como já disse, cada um tem gostos diferentes, mas para mim, foi revoltante não tentarem inclinar a balança mais para o lado positivo.

Mas enfim, não pode ser exactamente como queremos, se não teríamos que ser nós a projecta-lo e também não pode haver sempre um final feliz.

Ent√£o, resumidamente, adorei o filme, j√° revi e vou voltar a rever, acho-o diferente do que temos visto nas telas e acredito que quem gosta de filmes um pouco rebuscados pode vir a gostar deste.

ūüôā Beijos e abra√ßos gente.

kissusmivas

 

 

 

 

 

 

 

Micaela Ribeiro

 

 

Talento imenso para colar em livros de qualquer género, ver séries e filmes também elas de qualquer género…

Deixe um coment√°rio

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

y

Emet nisl suscipit adipiscing bibendum. Amet cursus sit amet dictum. Vel risus commodo viverra maecenas.

r